terça-feira, 31 de maio de 2016

Sugestão de Leitura: A Autobiografia de Martin Luther King



"Ao longo da vida, deve-se ter sensibilidade e moral o bastante para romper os grilhões do mal e do ódio. A melhor maneira de fazer isso é pelo amor. Creio firmemente que o amor é um poder transformador capaz de erguer toda uma comunidade a novos horizontes de retidão, boa vontade e justiça."



Gosto de ler as biografias de pessoas que admiro. Já li a de Nelson Mandela, Malcolm X, Hampaté Bâ, William Edwards DuBois, entre outras, mas faltava a de Martin Luther King. FInalmente concluí essa.
Um dos maiores símbolos da luta por igualdade, justiça e paz da humanidade, Martin Luther King liderou uma revolução que mudou os Estados Unidos e influenciou o mundo inteiro. Por sua política de resistência e transformação social através da não violência, tornou-se a pessoa mais jovem a receber o Prêmio Nobel da Paz.

Com base em arquivo inédito de textos autobiográficos do próprio King, incluindo cartas e diários não publicados, assim como filmes e gravações, o historiador da Universidade de Stanford e diretor do Martin Luther King Jr. Research, Clayborne Carson, organizou e criou um inesquecível retrato em primeira pessoa do grande líder Negro.

Neste livro, conhecemos a criança e o estudante curioso e bem-educado que acabou se rebelando contra a segregação racial. Acompanhamos o jovem pastor dedicado, questionando as profundezas de sua fé e os limites de sua sabedoria. Encontramos o pai que procurou equilibrar as necessidades de sua família com as demandas de um movimento revolucionário que crescia em todo o país.

Revemos o homem que ficou famoso por levar multidões às ruas pacificamente, mas que acabou assassinado, mesmo destino que teve Malcolm X, um de seus principais antagonistas ideológicos, apesar da convergência em seus objetivos.

Por meio das palavras de King, temos também uma crônica rica e comovente do século XX. Palavras e ações transformadoras que influenciaram o mundo e continuam repercutindo e servindo de inspiração até hoje. Sua nobreza de caráter e seus princípios continuam urgentes no mundo em que vivemos.


Título: A Autobiografia de Martin Luther King
Organizador: Clayborne Carson
Editora: Zahar
Número de páginas: 463

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Acontece


De vez em quando, simplesmente, acontece. 
Sem esperar, sem planejar. 
Sem ir muito longe. 
O destino se encarrega de realizar conexões que pareciam impossíveis!

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Metallica - ...And Justice For All! (E Justiça Para Todos!)


Em tempos de golpes de Estado e escárnio às instituições democráticas, o Metallica já denunciava, em 1988, quem realmente manda em um país capitalista.


Corredores da justiça pintados de verde
Dinheiro mandando
Lobos poderosos cercam sua porta
Ouça-os rastejando
Em breve você irá satisfazer a fome deles
Eles devoram
O martelo da justiça te esmaga
Abuso de poder
O máximo da vaidade
Explorando sua supremacia
Não consigo acreditar nas coisas que você diz
Não consigo acreditar
Não consigo acreditar no preço que você paga
Nada pode te salvar
A justiça está perdida
A justiça está violentada
A justiça se foi
Puxando suas cordas
Justiça é feita
Não buscando a verdade
Vitória é tudo
Parece tão cruel
Tão verdadeiro
Tão real
A apatia é o que os sustenta
Tão insensíveis
Hostilidade escondida no interior
Tão enganador
Através de seus olhos suas luzes queimam
Esperando encontrar
Inquisição te afundando
Com mentes curiosas
O máximo da vaidade...

A Senhora Justiça foi violentada
Assassino da verdade
Rolos de fita vermelha fecham sua boca
Agora você já era
O dinheiro deles controla a balança novamente
Faça seu negócio
O que é verdade? Não consigo dizer
Não consigo sentir
O máximo da vaidade
Explorando sua supremacia
Não consigo acreditar nas coisas que você diz
Não consigo acreditar
Não consigo acreditar no preço que nós pagamos
E nada pode nos salvar
A justiça está perdida
A justiça está violentada
A justiça se foi
Puxando suas cordas
Justiça é feita
Não buscando a verdade
Vitória é tudo
Parece tão cruel
Tão verdadeiro
Tão real
Sem procurar a verdade
Vitória é tudo
Parece tão cruel
Tão verdadeiro
Tão real

sexta-feira, 6 de maio de 2016

O Rappa - Todo camburão tem um pouco de navio negreiro


Tudo começou quando a gente conversava
Naquela esquina ali
De frente àquela praça
Veio os homens
E nos pararam
Documento, por favor
Então a gente apresentou
Mas eles não paravam


Qual é, negão? Qual é, negão?
O que que tá pegando?
Qual é, negão? Qual é negão?

Então...

É mole de ver
Que em qualquer dura
O tempo passa mais lento pro negão


Quem segurava com força a chibata
Agora usa farda
Engatilha a macaca


Escolhe sempre o primeiro
Negro pra passar na revista
Pra passar na revista


Todo camburão tem um pouco de navio negreiro
Todo camburão tem um pouco de navio negreiro


É mole de ver
Que para o negro
Mesmo a AIDS possui hierarquia
Na África, a doença corre solta
E a imprensa mundial
Dispensa poucas linhas


Comparado, comparado
Ao que faz com qualquer
Comparado, comparado
Figurinha do cinema


Comparado, comparado
Ao que faz com qualquer
Figurinha do cinema
Ou das colunas sociais


Todo camburão tem um pouco de navio negreiro
Todo camburão tem um pouco de navio negreiro