sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

3 anos de Ufanisi!


Este ano, por motivos diversos, não pude me dedicar ao blog como gostaria, mas nunca me afastei daqui , e quero agradecer a todas as pessoas que abraçaram essa ideia desde 2010, que surgiu totalmente despretensiosa, mas alcançou pessoas que eu não imaginava ser possível.
Agradecer a ícones como Nelson Mandela e Bob Marley, inspirações para o UFANISI desde o primeiro dia de postagem. A pessoas que me inspiraram com sua simplicidade e me ensinaram a ver o mundo de uma forma mais positiva, como Mestre Roque, da Associação de Capoeira Ogunjá, em Santo Antonio de Jesus-BA. 
Aos que me mostram que devemos ser humildes, mas nunca devemos baixar a cabeça diante de uma injustiça, nem fechar os olhos ao que nos inquieta. Ter autoconfiança, autoestima, se amar da maneira que você é e saber reconhecer seus próprios méritos não podem ser confundidos com vaidade ou soberba.
A todos os professores e alunos que já tive e ainda terei, por, diariamente, me ajudarem a buscar o caminho para ser uma pessoa melhor.
 Que os bons exemplos superem os maus, e que a gente possa viver em um mundo mais justo. Que as nossas diferenças nos unam, em vez de nos separarem ainda mais. Que ninguém seja julgado ou maltratado por pensar, ter religião, opção sexual, raça/etnia/cor de pele, visão política ou time de futebol diferente daqueles que se julgam hegemônicos.
Desejo um 2014 plural a todos nós. Porque ser igual a todo mundo é muito chato. ;)


PROSPERIDADE

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Goodbye, Bafana!


Esta noite, eu perdi uma das minhas principais referências. O homem que inspirou, minha dissertação de Mestrado, este blog, minha tatuagem e a minha vida desde que o conheci. Nelson Mandela.
 Mais do que ter sido o primeiro presidente Negro da África do Sul, ele foi quem mais defendeu a ideia de que todos poderíamos viver em paz e ter direitos iguais, independente da cor de nossa pele. Um mundo livre e justo para todos, em uma época na qual pessoas brancas e Negras sequer podiam dividir o mesmo espaço.
Uma tristeza profunda me invade enquanto escrevo isso, mas, ao mesmo tempo, uma sensação de alívio, porque ele cumpriu sua missão na Terra, inspirou milhões de pessoas pelo mundo, contribuiu muito para a luta contra o racismo e agora, finalmente, pode descansar em paz, no alto de seus 95 anos. Seu reconhecimento foi feito em vida, através das centenas de prêmios, homenagens e cerimônias, entre eles, o Prêmio Nobel da Paz.
Graças à sua luta, podemos ver Negros ocupando cargos de poder em vários setores, sendo o mais emblemático, o fato de Barack Hussein Obama ter se tornado o primeiro presidente Negro dos Estados Unidos da América, uma das maiores potências econômicas, políticas e militares do planeta, e, diga-se de passagem, notadamente racista.
Infelizmente, contudo, também é triste constatar que, décadas depois do fim formal do apartheid, nós Negros aqui no Brasil continuamos a ser discriminados, recebendo menores salários do que os brancos, sendo invisibilizados pela grande mídia e tendo nossas tentativas de projeção na sociedade sufocadas, embora isso hoje aconteça em uma escala infinitamente menor do que durante seus anos de prisão. 
O Brasil é um país racista que não se reconhece enquanto tal. Espero que a partida de Madiba faça com que sejamos pessoas melhores, que possamos reconhecer o racismo enquanto doença e, assim, procurar uma cura definitiva para este mal. Que sua vida seja exemplo, e que um mundo menos injusto deixe de ser apenas utopia. 
Vá em paz, velho Madiba! Queria poder escrever algo à sua altura, expressar o quanto eu sou orgulhoso e agradecido por tudo, mas, nesse momento, me faltam palavras e me sobram lágrimas.


"A morte é algo inevitável. Quando um homem fez o que considerava ser o seu dever para com seu povo e seu país, pode descansar em paz. Creio que fiz esse esforço e que por isso, portanto, posso dormir por toda a eternidade." (Nelson Mandela, 18/07/1918 - 05/12/2013)

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Pelos que se foram... Pelos que ainda estão aqui




E mais um aviso aos desavisados. Não sou como muitos dos "afro-oportunistas de 20 de Novembro", que vomitam piadas e brincadeiras racistas o ano todo, mas querem bancar os "politicamente corretos", "conscientes" etc. quando lhes convém. Muito menos como os pseudo-injustiçados que se sentem prejudicados pelas cotas, pelo Bolsa-Família, pelo Minha Casa, Minha Vida, por todas as ações afirmativas quesão NOSSAS conquistas, e não um beneplácito do PT, e ficam falando de "consciência humana", já que nunca sentiram na pele a "Sombra do Véu" (W.E.B. DuBois), o racismo que só quem é Negro de verdade sabe, sem precisar passar por escola nenhuma.
Quem me conhece sabe que eu sou isso aqui, "amo minha raça/luto pela cor/ o que quer que eu faça, é por nós/ por amor!" (Racionais MC's). Vivo, estudo e trabalho pra defender meu povo contra as injustiças, preconceitos, hipocrisias e o "apartheid disfarçado todo dia" (Adão Negro). É uma missão que abraço com muito orgulho, pois sei da minha importância enquanto professor e formador de opinião, ensinando com os livros e com os exemplos.
Falo e vou continuar falando, exaltando minha cor, denunciando quando houver necessidade e quem não quiser ler, poupe-me do trabalho, e exclua-me de suas redes sociais e do seu convívio. Garanto que gente assim não me fará a menor falta.
Minha amiga Joice C. Neres falou algo que eu não tinha pensado, ao falar sobre o feriado nacional de "Tiradentes", que em NADA acrescentou de fato para a história do país, mas é um feriado nacional, incontestável. Somos um país laico com dezenas de feriados cristãos, igualmente incontestáveis. Então, por que só o Dia da Consciência Negra depende da "boa vontade" dos governos de cada estado?
Por que tudo que se refere ao Negro precisa ter uma justificativa? Três séculos de escravidão e cinco séculos de racismo não são motivos suficientes?

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Respeito mútuo é a chave


Se "Deus é amor", por que boa parte dos seus fiéis semeiam o ódio e a discórdia? A quem interessa a perseguição sistemática às religiões de matrizes africanas em vários estados do Brasil?
Imagine se o povo-de-santo tocasse fogo em igrejas, do mesmo modo que evangélicos já destruíram, em diversas oportunidades os templos de Candomblé? Se os babalorisás e iyalorisás unissem o terreiro pra expulsar evangélicos dos morros cariocas e os ameaçassem de morte, como traficantes que se autodeclararam evangélicos estão fazendo no Rio de Janeiro?
"Olho por olho, e o mundo acabará cego". Respeitar alguém que pensa ou sente o mundo de maneira diferente da sua não significa que você comungue de suas ideias ou que você vai perder sua fé no que quer que seja.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Ubuntu!



Um antropólogo fez uma brincadeira com crianças de uma tribo africana. Ele colocou um cesto cheio de frutas junto a uma árvore e disse para as crianças que o primeiro que chegasse junto a árvore ganharia todas as frutas. Dado o sinal, todas as crianças saíram ao mesmo tempo e de mãos dadas! Então sentaram-se juntas para aproveitar da recompensa. Quando o antropólogo perguntou porquê elas haviam agido dessa forma, sabendo que um entre eles poderia ter todos os frutos para si, eles responderam: Ubuntu, como um de nós pode ser feliz se todos os outros estiverem tristes?

UBUNTU na cultura Xhosa significa: 'Eu sou porque nós somos'".

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Parabéns aos profissionais da educação!



Apesar da falta de investimentos de todas as esferas de poder (municipal, estadual e federal de TODOS os partidos), do pouco reconhecimento das pessoas que acham que "professor ganha bem e faz greve porque não quer trabalhar" (se eu ganhasse um real a cada vez que ouvisse isso, já tinha comprado uma casa em Miami), do desinteresse de parte dos alunos, que passam aulas inteiras no celular, da estrutura militar-carcerária das escolas, cercadas por grades, da violência que se faz presente, das ameaças... enfim... apesar dos desafios que se tornam cada vez maiores a cada ano que passa, parabéns a todos os professores e professoras!

Desde os meus pais, que sempre fizeram tudo o que puderam pra que eu tivesse uma boa educação, passando pela Tia Rosa, na Alfabetização, até a Drª Isabel Reis, minha orientadora no Mestrado em História Regional e Local da Universidade do Estado da Bahia, obrigado a tod@s vocês!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Complicar pra quê?

Brincadeira em "nuvem" de gafanhotos no Senegal. Foto: Africland


Buscar a felicidade nas coisas simples da vida. Essa é a meta.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Alemanha terá primeiro deputado de origem africana

O afro-alemão Karamba Diaby conquista mandato no Bundestag. Ele promete lutar pelo salário mínimo e pela integração de estrangeiros na sociedade.


Karamba Diaby chegou lá. O alemão nascido no Senegal fez história neste domingo (22/09), ao se tornar o primeiro negro a conquistar uma cadeira no Bundestag, a câmara baixa do Parlamento alemão.
Karamba, de 51 anos e que concorreu pelo Partido Social-Democrata (SPD) do estado da Saxônia-Anhalt, não foi o mais votado do seu distrito eleitoral, o que automaticamente daria a ele uma vaga. Ele conquistou seu mandato por meio da lista partidária.
Na Alemanha, cada eleitor tem direito a dois votos, o primeiro no seu candidato e o segundo num partido e, assim, numa lista de candidatos previamente definida.
Karamba Diaby nasceu em 1961 no Senegal e mudou-se para a então Alemanha Oriental em meados do anos 1980. Ele estudou química na Universidade de Halle, onde também concluiu doutorado. Há 12 anos possui a cidadania alemã.
O deputado eleito disse à agência de notícias DPA que defende a adoção de um salário mínimo na Alemanha e que a integração de estrangeiros é uma de suas prioridades.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Òké Aro!

Uma homenagem à Mãe Stella de Oxóssi, Iyalorixá baiana, escritora de diversos livros e que, desde ontem, quinta-feira, 11 de setembro de 2013, ocupou uma vaga na Academia de Letras da Bahia.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Lições do Imperialismo


"Quando os sacerdotes brancos chegaram à África, nós tínhamos a terra, e eles a bíblia. Os brancos nos deram a bíblia e disseram que rezássemos com os olhos fechados. Quando abrimos os olhos, eles tinham a terra, e nós, a bíblia." (Jomo Keniatta)

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Ninguém tá sozinho



Não tenho a pretensão nem a prepotência de julgar ninguém, mas uma pessoa deve estar num nível muito grande de desespero pra tirar a própria vida. Às vezes, as pessoas próximas a nós estão passando por momentos difíceis, e nós estamos ocupados ou preocupados demais com nossa própria vida pra perceber isso. 
Não custa nada oferecer uma palavra de apoio, um abraço, uma mensagem... talvez a pessoa só esteja esperando alguém demonstrar que ela não tá sozinha.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Pra que ninguém esqueça


"Na manhã de 4 de Setembro de 1957, aos 15 anos de idade, Dorothy Counts partia em um caminho angustiante para o colégio Harding High, se tornando a primeira garota negra a frequentar a escola só de brancos. Por cinco dias ela resistiu a pedras, cuspe e insultos. Esta foto engloba preconceito, ignorância, racismo, sexismo, desigualdade... mas também engloba força, determinação e inspiração."

(foto e texto retirados da página Obvious, do Facebook.)


Nada na nossa vida vem de graça. Nenhuma revolução acontece pacificamente, sem que haja enfrentamento de ideias ou até mesmo enfrentamento físico. Se não existissem atitudes como essa, de meter a cara e lutar pelos nossos direitos, de tentar subjugar o poder e as classes hegemônicas, estaríamos até hoje nos canaviais, nas plantações de algodão ou nas senzalas.
Poder, Prosperidade e Respeito ao Povo Negro!

sábado, 24 de agosto de 2013

Que venham mais médic@s!


Antes de começar este post, quero afirmar que não estou nem um pouco preocupado com questões partidárias. Não vejo muitas diferenças entre PT, PSDB, PMDB, PSOL, DEMO, PSTU, PPS, PDT ou sei lá mais o que. Dito isso, manifesto meu total apoio à chegada de médicos e médicas de outros países para trabalhar no Brasil. Não importa pra um paciente em estado grave, por exemplo, qual a nacionalidade do médico que o atenderá, contanto que ele esteja bem preparado e possua os recursos adequados.
Sei que o problema é muito maior que apenas a falta de profissionais qualificados. Falta material de trabalho, medicamentos, leitos, UTIs e outra série de coisas. Não se pode negar, entretanto, que as periferias das capitais e as cidades do interior sofrem ainda mais com isso. Os postos de saúde vivem sem médicos nesses lugares e as pessoas são obrigadas a viajar de um lado pra outro constantemente, até que alguém as atenda ou que morram no caminho, quando não estão pelos corredores. Não vejo nenhuma grande mobilização de médicos brasileiros pra resolver isso com a mesma agressividade que estão atacando os médicos estrangeiros, sobretudo os cubanos. 
Precisamos de saúde e educação de qualidade, e isso não é nenhum favor. Cada um de nós paga e sustenta uma das maiores cargas tributárias do planeta justamente sob a alegação de que os recursos serão utilizados para esse fim. Então, em vez de criticar quem está vindo resolver problemas emergenciais, vamos aproveitar pra pensar em soluções permanentes e cobrar dos governantes com rigor, independentemente do partido a que eles pertençam, para que tal medida não volte a ser necessária em breve.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Mude sua mente!

16 de agosto, dia de Obaluaê

"Quando não existe um inimigo interior, o inimigo exterior não pode te machucar." (Provérbio africano)

sábado, 20 de julho de 2013

Pra quem vive dizendo que racismo não existe.


O RACISMO NÃO ACABOU, foi com esta frase que Obama finalizou seu discurso em relação ao caso da morte do jovem negro Trayvon Martin.
O presidente , Barack Obama, entrou nesta sexta-feira no debate aberto após a absolvição de George Zimmerman pela morte do jovem negro Trayvon Martin. Ele falou de sua própria experiência como afro-americano no discurso mais sincero e pessoal sobre o racismo desde que assumiu a Casa Branca.

"Quando Trayvon Martin morreu, eu disse que ele poderia ter sido meu filho. Outra forma de dizê-lo é que Trayvon Martin poderia ter sido eu há 35 anos", afirmou Obama após aparecer de surpresa para os jornalistas na sala de imprensa da Casa Branca. O presidente emitiu um comunicado após saber do veredicto de um júri de Sanford (Flórida) que declarou Zimmerman, ex-vigilante branco, inocente de assassinar Martin com um tiro em 2012.
Ele qualificou de "compreensível" que tenha havido manifestações e protestos pela absolvição de Zimmerman.
"Há muito poucos homens afro-americanos que não tenham tido a experiência de ser perseguidos quando estavam comprando em uma loja. Isso inclui a mim. Caminhar por uma rua e escutar como se fecham as portas dos carros. Isso me aconteceu, pelo menos antes de ser senador", confessou o presidente. Para Obama, tudo isso contribui para criar a sensação que, se no lugar de Martin fosse um adolescente branco "o resultado e as consequências poderiam ter sido diferentes".
Obama se comprometeu a realizar "um trabalho melhor" para que os jovens afro-americanos "sintam que são uma parte integrante da sociedade, e que têm meios e condições para alcançar o sucesso". Para Obama, além disso, é importante fazer "um exame de consciência", mas não através de um diálogo racial impulsionado pelos políticos, mas com conversas "nas famílias, igrejas e lugares de trabalho".
O presidente concluiu seu discurso com um convite a não esquecermos "que as coisas estão melhorando" e que cada geração "parece estar fazendo progressos em quanto à mudança de atitudes em relação à raça". "Isto não quer dizer que estejamos em uma sociedade pós-racial. Não quer dizer que o racismo tenha acabado", advertiu.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

95 anos de Madiba!



Um dos maiores ícones da liberdade e da luta contra as desigualdades raciais e sociais do mundo está completando mais um ano de vida. Apesar de bastante debilitado, e de vários veículos da imprensa já antecipando sua partida, Nelson Mandela continua firme e servindo de exemplo para todos nós.
Madiba foi o cara que me inspirou a criar o Ufanisi, onde sou um mero interlocutor de suas ideias e de outros que pensam como ele. Como nós. 
Poder e Prosperidade para o povo Negro! Viva Madiba!

terça-feira, 9 de julho de 2013

"É possível vencer o inimigo fisicamente, e reduzi-lo à escravidão, mas jamais se poderá domesticar sua alma e seu espírito a ponto de impedi-lo de pensar." (Amadou Hampâté Bâ)

terça-feira, 2 de julho de 2013

Salve a independência do Brasil na Bahia!

Na Bahia foram travadas as últimas batalhas pela independência do Brasil, culminando com a expulsão definitiva das tropas portuguesas no dia 2 de julho de 1823, em Salvador.

HINO AO DOIS DE JULHO


Nasce o sol a 2 de julho
Brilha mais que no primeiro
É sinal que neste dia
Até o sol, até o sol é brasileiro!



Nunca mais o despotismo
Regerá nossas ações
Com tiranos não combinam
Brasileiros corações



Cresce, oh! Filho de minha alma
Para a pátria defender,
O Brasil já tem jurado
Independência ou morrer.



Nunca mais o despotismo
Regerá nossas ações
Com tiranos não combinam
Brasileiros corações



Salve, oh! Rei das campinas
De Cabrito e Pirajá
Nossa pátria hoje livre
Dos tiranos não será!


segunda-feira, 1 de julho de 2013

A Tradição Viva


"A escrita é uma coisa, e o saber, outra. A escrita é a fotografia do saber, mas não o saber em si. O saber é a uma luz que existe no homem. A herança de tudo aquilo que nossos ancestrais vieram a conhecer e que se encontra latente em tudo o que nos transmitiram, assim como o baobá já existe em potencial em sua semente." (Tierno Bokar)

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Black Sabbath - Sabbra Cadabra (tradução)

O Black Sabbath, banda inglesa de Heavy Metal tem ótimas composições, algumas com temáticas que não são tão usuais no estilo. Sabbra Cadabra é uma delas, uma das mais importantes pra mim. Abaixo segue a tradução.


Me sinto tão bem, me sinto ótimo
Amo aquela garotinha sempre na minha mente
Ela me dá amor toda noite e dia
Nunca irei deixá-la
Nunca irei embora

Alguém pra me amar
Você sabe que ela me faz sentir bem
Alguém que precisa de mim
Me ama todas as noites

Me sinto tão feliz desde que conheci aquela garota
Quando nós estamos fazendo amor
É algo fora desse mundo
Me sinto tão bem em saber que ela é toda minha
Vou amar aquela mulher até o fim dos tempos

Alguém por quem viver
Me ame até o fim dos tempos
Me faz sentir tão feliz
Bem em saber que ela é toda minha

Amável dama, ame-me a noite inteira
Amável dama, nunca me faça nada de errado
Eu não quero deixar você
Eu nunca quero deixar você
Nunca mais, não mais

Amável dama
Olhos mistificados
Amável dama
Ela não me diz mentiras
Eu sei que jamais a deixarei
Eu nunca irei deixá-la
Nunca mais, não mais



segunda-feira, 17 de junho de 2013

Partidos políticos não nos representam!



O Brasil está vivendo um momento histórico na melhor hora possível. No momento em que estamos no centro das atenções do mundo, graças à Copa da FIFA no Brasil (veja bem, a Copa não é e nunca foi nossa).
Não podemos perder essa chance, a hora de agregar todas as reivindicações, todas as demandas que temos é essa. A luta deve ser contra as desigualdades sociais, contra a corrupção, contra o desvio de dinheiro público e SEM FILIAÇÃO PARTIDÁRIA. O adversário tem várias formas, que ninguém se iluda.
Só chegamos a esse nível porque TODOS os partidos políticos foram omissos ou coniventes com tudo o que o país vem passando há séculos e nenhum deles nos representa, de fato.
Todo apoio aos protestos. Todo repúdio aos partidos políticos, independente da cor de sua bandeira. Por um movimento popular legítimo e espontâneo!

sábado, 8 de junho de 2013

Nat King Cole - Unforgettable




Inesquecível (Nat King Cole)

Inesquecível, isso é o que você é
Inesquecível, próximo ou longe

Como uma canção de amor que gruda em mim
Como o pensamento das coisas que você me faz
Nunca antes estive com alguém que fosse mais
Inesquecível em todos os sentidos

E sempre 
Isso é como você ficará 
Isso é por que, meu bem, é incrível
Que alguém tão inesquecível
Pense que eu seja inesquecível também.


Não, nunca antes estive com alguém que fosse mais
Inesquecível em todos os sentidos 
E pra sempre  é como você ficará 
Isso é por que, meu bem, é incrível
Que alguém tão inesquecível
Pense que eu seja inesquecível também.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Por resolução da FIFA, racismo poderá render até rebaixamento

O italiano Mario Balotelli é um dos jogadores que mais sofrem com o racismo dentro dos estádios.

Após várias ações irrisórias, como multas insignificantes, a Fifa tomou uma atitude concreta contra o racismo. Agora, uma ação discriminatória pode render várias punições, a mais pesada delas o rebaixamento de divisão.

Foi o que a entidade adotou nesta sexta-feira, por meio de resolução, durante seu Congresso nas Ilhas Maurício - no Oceano Índico. Foram 204 votos a favor do documento e apenas um contra.

"Em uma primeira infração, por menor que seja, haverá um aviso; depois, jogos com portões fechados (sem torcida)", diz o texto da resolução, que continua com a sequência de punições previstas. 

"Em caso de repetição de ofensa ou infração séria, dedução de pontos, exclusão de competição ou rebaixamento serão as punições recomendadas", prossegue o documento.

"Qualquer pessoa (jogador, técnico, árbitro...) que cometer uma infração pode ser suspenso por até cinco jogos, incluindo banimento do estádio", explica, ainda, a resolução.

Presidente da Fifa, Joseph Blatter falou sobre o assunto. "Estamos mandando um forte sinal aos racistas de que o tempo deles acabou... Eu estou falando de política do ódio, que é racismo, ignorância, discriminação, intolerância", continuou.

Os casos de racismo têm aumentado consideravelmente nos últimos anos, principalmente na Europa. O atacante italiano Mario Balotelli, do Milan, por exemplo, sofreu bastante na última temporada, principalmente em um jogo do Italiano contra a Roma.

Outro atleta do time de Milão, o ganês Kevin-Prince Boateng também foi vítima de racismo em um amistoso contra o Pro Patria, da terceira divisão, em janeiro, que culminou com o abandono de campo da equipe rossonera.


Fonte: SuperVasco/ ESPN

terça-feira, 21 de maio de 2013

"Hey, senhor de engenho, eu sei bem quem você é!"


Editais do MinC para cultura negra são suspensos

  • Justiça entendeu que ações exclusivas são uma prática racista
  • Projeto de fomento era a principal novidade da gestão de Marta Suplicy à frente do Ministério da Cultura
ANDRÉ MIRANDA (EMAIL · FACEBOOK · TWITTER)
EDUARDO RODRIGUES (EMAIL · FACEBOOK · TWITTER)
Publicado: 
 
Atualizado: 
A ministra da Cultura, Marta Suplicy Foto: André Coelho / Agência O Globo
A ministra da Cultura, Marta Suplicy André Coelho / Agência O Globo
RIO - A Justiça Federal suspendeu os editais de incentivo à cultura negra lançados pelo Ministério da Cultura (MinC) em novembro de 2012, por entender que eles representam uma prática racista. Com um valor total de R$ 9 milhões, os editais foram, até agora, a principal novidade da gestão de Marta Suplicy à frente da pasta, que assumiu há cerca de nove meses prometendo políticas de inclusão.
A decisão, do juiz José Carlos do Vale Madeira, da 5ª Vara da Seção Judiciária do Maranhão, foi publicada no Diário Oficial de segunda-feira. Ele escreveu que o MinC “não poderia excluir sumariamente as demais etnias” e que os editais “destinados exclusivamente aos negros abrem um acintoso e perigoso espectro de desigualdade racial”.
— Na minha opinião é uma decisão equivocada — afirma Humberto Adami, diretor do Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (IARA). — Ela deixa de reconhecer a Constituição Federal, o Estatudo da Igualdade Racial e tratados internacionais de combate à discrimição racial que são assinados pelo Brasil desde 1960, no sentido de combater o racismo e fomentar a inclusão dos afrodescendentes, que historicamente sofrem exclusão.
Os editais suspensos foram: Apoio para Curta-Metragem — Curta Afirmativo: Protagonismo da Juventude Negra na Produção Audiovisual; Prêmio Funarte de Arte Negra; Apoio de Coedição de Livros de Autores Negros; e Apoio a Pesquisadores Negros. O primeiro é de gestão da Secretaria do Audiovisual (SAv) do MinC, o segundo, da Funarte, e os dois últimos, da Fundação Biblioteca Nacional.
— O racismo no Brasil em relação ao negro é uma questão histórica — avalia Antonio Costa Neto, assistente técnico do IARA. — Houve racismo durante a escravidão, posteriormente com a teoria de branquear a população e depois como política pública na educação e também na imigração. Então hoje tentamos desconstruir o racismo através de políticas públicas afirmativas. O magistrado leva em consideração o momento atual, que não admite prática de racismo, mas deve considerar também esses fatos históricos. Se fizermos um recorte racial, há poucos produtores negros com acesso a essas política públicas.
Ministério promete recorrer
Os editais foram lançados em 20 de novembro, quando se comemora o Dia da Consciência Negra. A ideia anunciada por Marta era facilitar o acesso a verbas por parte de artistas e produtores que lidam com a cultura negra, cujos projetos seriam, de acordo com o MinC, pouco acolhidos pelas políticas usuais de patrocínio. Todos eles já haviam encerrado suas inscrições e deveriam anunciar os projetos habilitados no início do segundo semestre.
O processo foi movido como ação popular pelo escritório do advogado Pedro Leonel Pinto de Carvalho, do Maranhão, citando como réus a União Federal, a Funarte e a Fundação Biblioteca Nacional.
— O edital tem uma natureza racista. Por que ele é apenas para pessoas negras e não para brancos ou índios, por exemplo? É uma proposta que gera preconceito — diz Pedro Eduardo Ribeiro de Carvalho, gerente jurídico do escritório de Pedro Leonel.
Para Adami, a medida liderada pela ministra Marta Suplicy se insere no princípio das ações afirmativas.
— É uma ação do poder executivo que visa socorrer um determinado segmento da sociedade. Não deveria causar estranheza, pois todos os dias temos algum segmento da sociedade beneficiado por alguma decisão do executivo, judicário ou legisliativo. Quando empresários recebem isenção de pagamento de tributos, ninguém diz que é inconstitucional. Nesse aspecto, penso que não faltarão argumentos para que a Advocacia Geral da União faça um recurso ao Tribunal Regional em Brasília e que essa decisão seja sumariamente cassada.
Em nota, o MinC informou que vai apresentar recurso à decisão: “O edital da SAv é legal, constitucional e há segurança na regularidade da política. O mesmo entendimento têm as áreas jurídicas da Funarte e Fundação Biblioteca Nacional, que também entrarão com recurso”.
Fonte: O Globo

terça-feira, 14 de maio de 2013

Receita pra viver bem


Muito obrigado a Aline Diniz Warken, que frequentemente me alerta sobre isso. Viver o que se quer é fundamental!

segunda-feira, 13 de maio de 2013

13 de maio, absolutamente nada a comemorar!


Pensei em várias músicas, mas poucas que conheço sintetizam tão bem o que penso sobre a tal "abolição" cantada em verso e prosa por aí...


Todo camburão tem um pouco de navio negreiro (O Rappa)

Tudo começou quando a gente conversava
Naquela esquina alí
De frente àquela praça
Veio os homens
E nos pararam
Documento por favor
Então a gente apresentou
Mas eles não paravam
Qual é negão? qual é negão?
O que que tá pegando?
Qual é negão? qual é negão?

É mole de ver
Que em qualquer dura
O tempo passa mais lento pro negão
Quem segurava com força a chibata
Agora usa farda
Engatilha a macaca
Escolhe sempre o primeiro
Negro pra passar na revista
Pra passar na revista

Todo camburão tem um pouco de navio negreiro
Todo camburão tem um pouco de navio negreiro

É mole de ver
Que para o negro
Mesmo a AIDS possui hierarquia
Na África a doença corre solta
E a imprensa mundial
Dispensa poucas linhas
Comparado, comparado
Ao que faz com qualquer
Figurinha do cinema

Comparado, comparado
Ao que faz com qualquer
Figurinha do cinema
Ou das colunas sociais

Todo camburão tem um pouco de navio negreiro
Todo camburão tem um pouco de navio negreiro

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Mãe Stella é eleita para a Academia de Letras da Bahia

Mãe Stella de Oxóssi é mais uma representante  do empoderamento Negro na sociedade brasileira.


Mãe Stella de Oxóssi, ialorixá do terreiro Ilê Axé Opó Afonjá, em São Gonçalo do Retiro, foi eleita na tarde desta quinta-feira, 25, a mais nova imortal da Academia de Letras da Bahia. Vai ocupar a cadeira 33 (Poltrona Castro Alves) que era do professor e historiador Ubiratan Castro, falecido em janeiro de 2013.
Stella de Azevedo dos Santos tem 87 anos e é graduada em Farmácia pela Escola Bahiana de Medicina. É a primeira vez que uma mãe-de-santo vai ocupar uma cadeira da entidade máxima da literatura baiana. Mãe Stella é autora de seis livros, como "E daí aconteceu o encanto", "Meu tempo é agora" e "Opiniões".
Integrantes do movimento afro e intelectuais acreditam que a eleição da ialorixá foi benéfica a academia, pelo trabalho que ela realiza junto à comunidade e sua importância para a literatura baiana.


"É um reconhecimento da importância da nossa matriz. Mãe Stella é uma líder comunitária e tem conhecimento para honrar a posição que agora vai ocupar", comentou Myriam Fraga, poetisa e diretora da Fundação Jorge Amado.

Mãe Stella é articulista do jornal A TARDE e escreve quinzenalmente na página de Opinião. Também é atuante no blog Mundo Afro. Em 2009 recebeu o título de Doutora Honoris Causa da Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

Fonte: Portal A Tarde

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Se acontecer - Djavan



As estrelas brilham sem saber,
Mas cada vez melhor
Pois foi só você aparecer
Todas desceram pra ver
Você brilhar de cor.

O que mais chamou minha atenção?
Sua expressão sutil
Isso eu já não posso esquecer
Porque não foi só visão,
O coração sentiu.

A tenda da noite enche de sombra
Um sonhar vazio
Percorri tantas fontes até ver você
Sair do nada pros meus horizontes
Que a manhã pura e sã
Com as mãos de jasmim vá roçar seu rosto
Pro amor ardente despertar por mim
Deus é pai, vai saber
Se acontecer, serei seu até o fim!

Em tempo de chuva, que chova:
Eu não largo da sua mão!
Nem que caia um raio
Eu saio sem você na imaginação.

Lições de Milton Santos


quinta-feira, 11 de abril de 2013

A Mão da Limpeza - Gilberto Gil



O branco inventou que o negro
Quando não suja na entrada
Vai sujar na saída, ê
Imagina só
Vai sujar na saída, ê
Imagina só
Que mentira danada, ê

Na verdade a mão escrava
Passava a vida limpando
O que o branco sujava, ê
Imagina só
O que o branco sujava, ê
Imagina só
O que o negro penava, ê

Mesmo depois de abolida a escravidão
Negra é a mão 
De quem faz a limpeza
Lavando a roupa encardida, esfregando o chão
Negra é a mão
É a mão da pureza

Negra é a vida consumida ao pé do fogão
Negra é a mão 
Nos preparando a mesa
Limpando as manchas do mundo com água e sabão
Negra é a mão 
De imaculada nobreza

Na verdade a mão escrava
Passava a vida limpando
O que o branco sujava, ê
Imagina só
O que o branco sujava, ê
Imagina só
Eta branco sujão